Noticias

Primeiro Hard Rock Hotel do Brasil abrirá na Região de Londrina

Resort terá 299 quartos, lago de água termal e spa; expectativa é atender cerca de 1 mil hóspedes por dia

hard-rock-hotel-paraná-malui-resort-foto-divulgação-600x383

Arquitetura e padrão do Hard Rock Hotel do Paraná seguem o padrão das outras unidades dos EUA. Foto: Divulgação.

primeiro Hard Rock Hotel do Brasil abrirá as portas no Paraná: será na Ilha do Sol, no norte do Paraná, com mais de 200 quartos e acessível somente de barco pelo Rio Tibagi. A previsão de inauguração do hotel é em 2020.

A data prevista de abertura e novas informações sobre o projeto foram divulgadas nesta terça-feira (27) pela empresa que está tocando a incorporação no Brasil.

Localizado em uma ilha no município de Sertaneja, no meio da represa de Capivara, a 75 quilômetros de Londrina, o Hard Rock Hotel ocupará as instalações inacabadas do que seria o Maluí Resort, um empreendimento lançado em 2010 como aposta do condomínio Ilha do Sol para atrair turistas e vender lotes para a construção de casas de alto padrão.

No entanto, a obra seguiu em marcha lenta até o ano passado, quando o incorporador do resort fechou um aporte com o grupo Venture Capital Investimentos (VCI), que passou a representar o Hard Rock Hotel no Brasil.

De acordo com o proprietário do condomínio Ilha do Sol, Nelson Neves Filho, o Maluí Resort já estava praticamente pronto quando o Hard Rock assumiu a gestão. “Quando eles chegaram aqui, a obra estava em torno de 90% pronta, na fase de acabamento, pintura, e até mesmo o mobiliário já estava aqui. Eles estão ampliando o projeto original”, explica. Neves Filho acredita que a abertura deve ocorrer até mesmo antes do prazo anunciado, em meados de 2019.

Estrutura

O Hard Rock Hotel Ilha do Sol terá 299 quartos divididos em quatro categorias (a partir de 41 metros quadrados cada), 40 chalés e 16 “Villas” integradas à natureza — esses são chalés de 92 metros quadrados com dois quartos cada. A estrutura se assemelha a unidades já abertas pela rede, como as de Punta Cana (República Dominicana), Cancún (México) e Orlando (EUA), com a decoração característica da rede.

hard-rock-hotel-paraná-foto-divulgação

As obras do resort no Paraná começaram em 2010, mas a parceria com o Hard Rock foi fechada no ano passado. Foto: Divulgação.

O projeto aponta também a instalação de três restaurantes, sendo um deles “Signature”, assinado por uma rede ou chef renomado; um ‘rooftop’ (um bar na cobertura do prédio); três piscinas para adultos e crianças; um lago de água termal a 46 graus e outro com pequenas ilhas e chalés construídos na beira do lago, além de uma ampla área de eventos com 1.585 metros quadrados. A expectativa é de que o resort atenda a até 1 mil hóspedes por dia.

Os hóspedes do resort terão à disposição o Rock Spa & Salon e o centro de fitness Body Rock, que são duas grandes estruturas com piscina, hidromassagem, salas de massagem, sauna, tratamentos estéticos e uma academia completa. Além disso, o local terá uma praia particular de água doce, três quadras poliesportivas, playground para crianças e caminhos elevados no meio do bosque, com instalações para descanso como balanços, redes e barracas suspensas nas árvores.

Outra característica do resort será a infraestrutura para esportes aquáticos como wakeboarding, esqui, vela e outras atividades, praticados a partir de um deck localizado ao lado do trapiche, por onde chegarão os hóspedes. Haverá também um circuito de brinquedos, tirolesa e trilhas.

Música

hard-rock-hotel-paraná-palco-rio-foto-divulgação

O palco sobre o rio Tibagi será semelhante a este, de frente para a praia artificial. Foto: Divulgação.

Apesar de ser um resort com um viés de ecoturismo, o Hard Rock tem como marca em seus hotéis a temática musical. Ou seja: apresentações de artistas e bandas também estarão no caminho dos hóspedes. O resort terá um grande espaço para shows chamado de “Woodstock” e um palco flutuante construído sobre o Rio Tibagi.

O presidente do grupo VCI, Samuel Sicchierolli, explica que a ideia da Ilha do Sol é atender a um público variado. “Os hóspedes terão uma experiência única, com lazer e diversão para todas as idades. A Ilha do Sol é um retiro em meio à natureza para quem busca descanso e tranquilidade”, conta.

acesso ao resort será feito de barco a partir de um trapiche em Primeiro de Maio, onde já existe um atracadouro que serve a todo o condomínio. De acordo com o projeto, este espaço será totalmente revitalizado com a implantação de áreas de estacionamento para carros e ônibus, recepção do hotel e docas de serviço.

Veja abaixo onde está localizado o Hard Rock Hotel Ilha do Sol e a projeção de como será o espaço, a ser inaugurado em 2020:

A Ilha

Ilha do Sol foi formada a partir da construção da barragem de Capivara, na divisa do Paraná com São Paulo, em meados dos anos 1970. O rio Paranapanema foi represado para a construção da Usina Hidrelétrica de Capivara, entre os municípios de Porecatu (PR) e Taciba (SP).

Anos depois, no final da década de 1990 e começo dos anos 2000, um grupo de empresários locais comprou a ilha e loteou a área de 30 mil alqueires. Mas, reservou a parte mais alta do espaço para a construção de um resort próprio no começo, segundo Gilmar Donizete da Silva, diretor da Teixeira Hollzmann – sócia da incorporadora. “O projeto nem era para ser tão grande assim, mas agora será conhecido mundialmente”, comemora.

Maluí Resort foi lançado originalmente no final de 2010, e um ano depois já tinha parte da estrutura pronta. Na época, o sócio-proprietário da empresa que coordenou os investimentos, Marcos Holzmann, afirmou que já tinha vendido 900 das 1.100 cotas colocadas para comercialização.

Os proprietários compravam uma fração do apartamento que dava o direito de uso de quatro semanas no ano, sendo uma em alta estação, uma na média temporada e duas na chamada baixa estação. A administração do hotel alternaria as reservas para que todos os clientes pudessem aproveitar a estrutura.

As obras do Maluí Resort, que deveriam terminar em 2013, seguiram em um ritmo mais lento até serem praticamente interrompidas com a crise econômica de 2016, por conta da queda de investimentos. “Coincidentemente, quando a Holzmann saiu ao mercado em busca de investidores, a VCI estava procurando locais no Brasil para a implantação do Hard Rock Hotel. A primeira opção deles seria um resort no estado do Rio de Janeiro, mas eles gostaram do que apresentamos do Maluí e resolveram investir” conta Gilmar ressaltando que a rede já estava em busca de uma ilha para construir uma grande estrutura no país.

A negociação com a VCI começou no final de 2016, e foi acertada no começo de 2017.Após um ano de obras paradas, a construção do resort foi retomada com a definição do novo nome. Ao todo, segundo a Teixeira Holzmann o Hard Rock Hotel Ilha do Sol terá consumido R$ 90 milhões, sendo R$ 60 milhões da primeira fase da incorporação e mais R$ 30 milhões da sociedade com o VCI.

Ainda segundo Gilmar Donizete da Silva, uma equipe do Hard Rock virá ao Brasil no mês que vem para consolidar o projeto que já existia com o que pretendem fazer, e possivelmente mudar o formato de comercialização das unidades. “Ainda não sabemos se eles irão manter o formato que estávamos fazendo, ainda não temos conhecimento de como será daqui para frente”, explica.

Investimento

O Hard Rock Hotel Ilha do Sol é a aposta da rede norte-americana de restaurantes, cassinos e hotéis que já tem 26 resorts pelo mundo, e está desembarcando no país com três projetos orçados em mais de R$ 300 milhões. Fora o Paraná, estão previstas unidades em Caldas Novas (GO) e Fortaleza (CE).

Além da unidade do Paraná, o resort de Fortaleza também está sendo erguido a partir de uma obra que já estava em andamento. O único empreendimento que será construído do zero é o de Caldas Novas (GO). Fontes do setor hoteleiro apontam que já há estudos para uma quarta unidade, a ser implantada em Natal (RN).

Embora o investimento nos resorts seja do fundo brasileiro, a Hard Rock fará a gestão dos hotéis. A ideia é garantir um padrão global. Segundo Sicchierolli, uma das dificuldades para colocar em pé a parceria com a rede americana foi justamente a padronização dos quartos e áreas comuns, o que exigiu adaptações nas unidades que já estavam em construção.

Com informações da Gazeta do Povo 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s